ArtigosPT
Diretório de Artigos Exclusivo

Fundos de Mercados Emergentes

Saiba quais são os fundos de investimento onde poderá investir para ter uma participação direta na rentabilidade dos diversos ativos disponíveis nos mercados emergentes. Rentabilize o seu capital!

São estes aspetos, em especial, as possibilidades de crescimento e as expetativas de melhoria económica, os fatores que tornam atrativos os mercados emergentes no momento de investir. Mas existem diversas possibilidades: comprar ações de empresas de outros países, algo muito complicado para o investidor com pouca experiência, ou participar num fundo de investimento.

A China, Índia, Brasil e mais uma série de outros países, marcados como mercados emergentes, são uma boa opção para diversificar o seu capital, ao depositar dinheiro em diferentes investimentos, de forma a minimizar o risco da sua carteira de ativos e obter bons ganhos. Os custos de investimento coletivo também são menores e, além disso, a sua conta é gerida por um grupo de espertos na área do património e capital.

O fundo de investimento é composto pelos diversos investidores que entregaram o seu capital a uma gestora de fundos para que faça a gestão dos ativos financeiros. Estes intermediários criam uma carteira de valores constituída por empresas bem posicionadas nos países emergentes. É possível investir em BRIC (acrónimo para Brasil, Rússia, Índia e China), em Next Eleven (os próximos onze, segundo o Goldma Sachs para se referir a países com maior potencial de crescimento – Bangladesh, Coreia do Sul, Egito, Filipinas, etc), em Mercados Fronteira (Argentina, Emirados Árabes Unidos, Chipre, Panamá, etc) ou em muitas outras combinações criadas pelas gestoras.

Antes de se decidir pelo fundo de investimento, deverá obter diversas informações importantes, tais como, a rentabilidade dos últimos meses e o nível de risco. Hoje em dia, qualquer investimento não é 100% garantido, e supõe um certo risco, embora tudo indique que um fundo possa ser rentável, as circunstâncias mundiais mudam de um momento para o outro, arrastando vários países e, com eles, as suas bolsas de valores. Conheça quais são as caraterísticas deste tipo de investimento financeiro:

  • Os investimentos em países emergentes são de alto risco. São muito voltáveis, os valores do fundo experienciam diversas variações importantes, evoluindo de forma instável.  Se bem que é certo que a possibilidade de revalorização de uma carteira emergente é superior à que se pode conseguir na bolsa portuguesa ou em outras ações europeias, as opções de perder dinheiro também são maiores.
  • São mercados muito sujeitos a altos e baixos e qualquer mudança pode fazer com que as suas expetativas de crescimento se modifiquem.
  • Outro risco a que estão submetidas as economias de alguns países emergentes é a depreciação da moeda – a desvalorização, algo similar ao que aconteceu há alguns anos atrás.

São, por isso, investimentos voláteis e arriscados. O dinheiro poderá desaparecer em pouco tempo ou poderá fazer uma boa fortuna em pouco tempo, também. Estes são os dois lados da moeda. Segundo assinalam os analistas de mercados financeiros, uma boa carteira de ações na Europa, embora possa cair a pique, a longo prazo é possível que se situe de novo em níveis positivos. São depósitos muito mais estáveis, contudo não é possível ganhar grandes quantidades de dinheiro com pouco investimento, ao contrário dos países emergentes.

Este tipo de investimento é ideal para investidores que possuem um perfil de risco elevado, conheçam bem o funcionamento destes produtos financeiros e saibam os termos financeiros mais populares.